IV Festival Cine Inclusão promove reflexão sobre a maturidade

0
233

A quarta edição do Festival Cine Inclusão conta com a consultoria 60+ de duas profissionais pioneiras no Brasil em Economia Prateada: Bete Marin e Camilla Alves, fundadoras da MV Marketing – primeira agência digital especializada no público maduro. Gratuito, o maior evento cinematográfico dedicado às pessoas com mais de 60 anos acontece de 16 a 23 de setembro, em São Paulo, e contará com a exibição de 28 filmes nacionais. As sessões acontecem no Cine Marquise e no Cine Bijou, na região central da cidade, e no Cine Favela, em Heliópolis. A programação completa pode ser acessada no site www.cineinclusao.com.br.

Serão exibidos filmes, divididos nas categorias Mostra Competitiva (curtas que convidam o espectador a refletir sobre o envelhecimento em diferentes pontos de vista) e a Mostra 60+ em Ação, que conta com oito filmes realizados por diretores com mais de 60 anos. Nesta, segundo Bete Marin, o foco recai para o panorama de artistas maduros – profissionais e amadores – que protagonizam as suas produções audiovisuais.

“A Mostra 60+ em Ação, que integra o IV Festival Cine Inclusão, é um exemplo de projeto que temos orgulho de divulgar, pois ilustra muito bem esse momento que vivemos no Brasil: a necessidade de dar voz a uma geração de pessoas maduras, cujo talento e cuja criatividade se expandem com a idade. Por meio da produção audiovisual selecionada para as exibições, fica clara a importância de desconstruir conceitos e preconceitos sobre o envelhecer. Já passou da hora de ampliarmos a nossa compreensão e passarmos a celebrar a produção de profissionais com mais de sessenta anos e a contribuição na construção de um país mais diverso. Essa iniciativa, inclusive, soma esforços para o Letramento em Longevidade que precisamos promover, com urgência, no país”, afirma Bete Marin.

Camilla Alves acrescenta que é urgente olhar para a mudança demográfica do país e do mundo. “É constrangedor ter um Brasil que torna invisível uma pessoa que envelhece; que não reconhece que estamos diante de uma geração que derrubou tabus e que construiu caminhos autorais na juventude. É uma miopia não enxergar que essa mesma geração continua inovando e nos apontando quais são os novos caminhos para uma vida rica de significados na maturidade. As produções cinematográficas exibidas nesse festival são o retrato dessa geração prateada que sempre surpreende!”, afirma Camilla.

Com abertura programada para 16 de setembro, às 11 horas, no Cine Marquise, o Festival Cine Inclusão terá início com o debate A atuação do profissional 60+ no Audiovisual de hoje, que contará com a mediação do jornalista e escritor Ygor Kassab; e a participação de Gilda Bandeira de Mello (criadora de conteúdo e integrante do canal Avós da Razão); Willem Dias (montador, responsável pela edição de filmes como Os Matadores e À margem do Lixo); e Wilson Cortez (fotógrafo e cineasta). Ao meio-dia, a programação seguirá com a exibição do filme Capitão Astúcia, de Felipe Gontijo, com Fernando Teixeira e Nívea Maria como protagonistas.

Idealizada e dirigida pelo produtor Daniel Gaggini e com curadoria de Luciana Rossi e Ygor Kassab, a edição 2023 foi dividida em duas etapas. A primeira aconteceu entre os dias 3 de junho e 23 de julho, com realização de oficinas de cinema para moradores 60+ das regiões de Capão Redondo, Cidade Tiradentes, Heliópolis e Paraisópolis. Quatro curtas-metragens foram produzidos pelos alunos e serão exibidos no encerramento do evento (23/9, a partir das 11h00), no Cine Marquise. Na ocasião, também serão anunciados o Melhor Filme da Mostra Competitiva (eleito pelo público) e o(a) vencedor(a) do Concurso de Roteiro, novidade desta edição, selecionado entre 91 trabalhos inscritos por roteiristas 60+.

Fotos: Divulgação