Produzido a partir da fruta do cacau,  chocolate pode ser um bom investimento

0
1349

Ao leite, amargo, branco ou crocante. Independentemente do tipo, o chocolate é, sem dúvida, um dos alimentos mais amados e consumidos no mundo. No Brasil, o fato pode ser comprovado pelo levantamento realizado pela Betway (site de roleta online), de que os brasileiros comem cerca de 2,6 quilos de chocolate por ano.

O setor de chocolates apresentou um crescimento de 10,3% no total de unidades comercializadas de janeiro a setembro de 2022, se comparado ao mesmo período no ano anterior. Ao todo, foram 1,75 bilhão de itens vendidos, segundo estudo encomendado pela Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab). O aumento no consumo alavancou também a economia ao fazer com que o faturamento total do setor no período chegasse a R$7,2 bilhões, registrando um crescimento de 16,3%.

Produzido a partir do cacau, possui alto teor energético, mas também é considerado o vilão em muitas dietas. Por outro lado, segundo especialistas em nutrição, apresenta grande capacidade antioxidante e alto teor de flavonóides que fazem bem à saúde. Sendo um fruto versátil, o cacau pode ser inserido facilmente na alimentação na forma de cacau em pó, polpa de cacau, chocolates com um percentual elevado de cacau, entre outras opções.

Investindo em chocolate

Para muitos, o chocolate é uma verdadeira paixão! Tal preferência pode levar alguém a tomar atitudes extraordinárias, como é o caso de Fábio Vella, fundador e diretor da Eh Brownie, não eh bolo! Profissional da área de eventos e com o quadro da pandemia instalado no mundo – situação que deixou muitos desempregados na época e no Brasil a taxa de pessoas sem trabalho fixo chegou ao patamar de 13,5%, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) – Fábio precisou se reinventar. Produzir brownie para vender no sistema online, foi a melhor opção e o caminho certo para o sucesso.

 “Empreender naquele momento foi uma questão de sobrevivência e também uma oportunidade para buscar novas formas de trabalhar. Como não sabíamos quando as coisas se normalizariam, era vital encontrar uma outra solução”, relembra Fábio Vella que ainda continua atuando com sua empresa de eventos.

Assim nasce um negócio

O empresário, que tem um feeling sensível para inovação, percebeu que algumas pessoas estavam produzindo brownies e outros doces em casa. Entendeu que ali estava um negócio promissor e passou a pesquisar mais sobre receitas, elaboração de brownies e preços praticados no mercado.

“Nessa busca encontrei diversas histórias interessantes de pessoas que deram certo vendendo brownie. Então, passei a testar alguns sabores e a produzir na cozinha da minha casa. Nesta jornada também provei muito brownie de outras marcas, para comparar com o que estava fazendo, até que cheguei à conclusão de que o meu produto estava pronto para ser colocado no mercado. Para as vendas, precisava da cozinha de casa e do computador. Na primeira semana já tive certeza de que tudo daria certo”, conta o empresário.

O negócio ganhou uma proporção inesperada, que Fábio Vella precisou contar com a ajuda de familiares que vieram do interior de São Paulo para auxiliá-lo na produção, venda e entrega do produto.

Chocolate a qualquer hora

O fundador da Eh Brownie, não eh bolo! conta que, com a evolução das vendas de brownie, foi necessário buscar um espaço que atendesse suas necessidades sem exigir um grande investimento.

“A doceria tomou corpo em 2021. Foi quando montei uma cozinha central na região da Bela Vista, em São Paulo, que nos proporcionasse condições de aumentar a produção e investir na criação de novos produtos. Toda a montagem foi feita com o valor das vendas dos brownies. Por outro lado, era necessário ter pontos de distribuição. Foi neste momento que conheci o formato de lojas para delivery que passou a nos dar total suporte na entrega para os clientes. Ou seja, nosso cliente pode ter o produto no momento que quiser, pois o delivery vai até o local onde ele estiver, seja em casa ou no trabalho”, conta Vella.

Para atender a clientela, que tem nos sabores nutella e original os preferidos, a empresa conta com lojas para delivery nas regiões do Brooklin, Butantã, Lapa, Mooca, Vila Mariana e São Bernardo do Campo e conta com uma equipe de 7 funcionários alocados na cozinha, distribuição e reposição.

Praticidade

Para o fortalecimento do negócio, contar com uma estrutura já pronta para armazenamento e distribuição dos doces, foi o ponto alto para que a marca pudesse ampliar sua região de alcance e, assim, difundir ainda mais o nome da empresa.

O baixo investimento para uma expansão rápida, que pode chegar a ser até 80% menor quando comparado à montagem de uma loja física, foi outro atrativo para o empresário.

“O investimento no formato de lojas para delivery, com espaço prontos para iniciarmos a operação, quando comparado com a estruturação inicial de uma loja física, é muito mais barato, pois diminui cerca de 4 a 5 vezes o valor inicial necessário”, revela Fábio Vella, que continua atuando com sua empresa de eventos, está iniciando uma marca de cookies e que pretende levar seu negócio para outros estados.

Beleza na mesa

Já pensou em receber uma caixa em sua casa e, depois de poucos minutos, ter na sua frente um doce digno de realeza para comemorar o Dia do Cacau e a Páscoa? Com a Eh Brownie, não eh bolo! é assim: o cliente faz o pedido online e recebe no conforto do lugar onde está, embalado de forma a encantar o cliente que é formado por um público jovem e antenado em sustentabilidade e causas sociais.

Fotos: Freepik