Mercado de entregas por aplicativos cresce 979,8% e movimenta o cenário econômico brasileiro, aponta IBGE

0
4823

O número de brasileiros engajados no setor de entregas por aplicativos teve um crescimento astronômico nos últimos cinco anos, segundo um estudo conduzido pelo renomado Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) com base em dados fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com a pesquisa, a quantidade de trabalhadores nessa área registrou um aumento impressionante de 979,8%. Esse dado revela a relevância crescente do mercado de entregas por meio de aplicativos e sua influência no cenário econômico brasileiro.

Os dados do estudo mostram que aproximadamente 31% dos 4,4 milhões de profissionais envolvidos no setor de transporte, armazenagem e mercadorias no Brasil estão engajados nesse formato de trabalho flexível. Esse número evidencia a relevância crescente desse modelo de emprego no cenário laboral do país, impactando significativamente o mercado de trabalho e a dinâmica econômica.

Motoboys e motogirls, porém, têm expressado suas preocupações em relação à escassez de trabalho devido ao rápido crescimento da área. Como exemplifica o motoboy baiano Daniel da Silva: “Na época da pandemia, a demanda era muito grande, hoje com o aumento do número de motoboys precisei ir para outros aplicativos de entrega para conseguir mais corridas no dia”.

Aplicativos geram atualizações com Seguro para os profissionais

Nesse contexto, os prestadores de serviço têm buscado cada vez mais empresas que mantenham um melhor relacionamento com o motoboy/motogirl. De acordo com Vitor Emanuel Caires, co-fundador da Giross (@giross.app), empresa com um dos maiores apps de entregas do país, o foco em ajudar os entregadores com Score, Seguro para eles e mais formatos, é algo basilar. “Estamos em mais de 230 cidades do Brasil e queremos que os nossos motoboys estejam seguros e tranquilos nesses processos”, exclama.

Mas, enquanto algumas plataformas inovam, outras gigantes, como o iFood, têm enfrentado problemas técnicos que afetaram os pedidos em determinadas áreas de entrega em várias regiões do Brasil. Quando ocorre um erro desse tipo, tanto os comerciantes quanto os prestadores de serviços são atingidos negativamente.

“No aplicativo Giross, quando ocorre um erro técnico, se for causado por código de programação ou infraestrutura, nosso time de Tecnologia é quem resolve, temos um tempo de resolução médio de até 4 horas. Para pequenos bugs ou algum ajuste para entregadores ou clientes, nosso setor de Suporte é o que mais acompanha essa demanda”, acrescenta Vitor.

O sócio ainda explica que algumas pessoas podem pensar que o aplicativo funciona 100% no automático, mas este é um grande equívoco. “Para oferecer uma experiência de aplicativo eficiente, com boas demandas de serviço aos parceiros entregadores, é necessário uma gestão constante todos os dias, contratação, treinamento de time, gerenciamento de relacionamento com os motoboys e motoristas, criatividade para soluções e acompanhar as tendências do mercado. Isso tudo está por trás para o andamento de uma startup em constante crescimento como a Giross”, conclui.

Quem faz as entregas através de apps como iFood ou 99 pode sofrer, ainda, com as altas taxas, que chegam a mais de 20% do valor das compras. Enquanto isto, o app Giross cobra 12% de taxa (ou menos) e pode ser aproveitado até por quem quer continuar utilizando o iFood ou outros aplicativos.

Foto: Freepik